Um Delahaye muito especial

Imagem por Ricardo Grilo

Robert Mazaud era um piloto francês de algum mérito que nas temporadas de 1938 e 1939 usou um Delahaye 135 CS modificado (chassis #47194) em diversas provas nacionais e internacionais – incluindo duas participações nas 24 Horas de Le Mans.

Com a invasão de França pelos Alemães em 1940, Mazaud iria passar a militar na resistência, juntando-se à rede Chestnut onde iria encontrar alguns pilotos que conhecia bem por terem tido seus adversários. Entre eles William Grover-Williams (vencedor do primeiro GP do Mónaco e líder do grupo) Robert Benoist e Jean-Pierre Wimille (ambos vencedores das 24 Horas de Le Mans).

Quanto ao seu belo Delahaye 135, o carro iria ser requisitado pela Wehmacht, pintado no habitual Feldgrau e colocado ao serviço de uma divisão de infantaria, onde deve ter sido um “must” no pouco tempo que terá rodado sem se avariar.

Simplesmente, em ambiente e utilização militar era impossível manter em bom estado uma mecânica tão sofisticada como a do Delahaye de competição. O que não deve ter preocupado muito os seus abusivos utilizadores que terão usado o 135 CS até o rebentar, abandonando-o decerto em seguida.

A foto corresponde à derradeira imagem conhecida do dito Delahaye 135 CS de Robert Mazaud, já nas mãos de uns aparentemente bem divertidos soldados da Wehrmacht.

Mas se este Delahaye desapareceu cedo, os pilotos referidos também não tiveram melhor sorte.

Grover-Williams e Benoist foram assassinados pelos Nazis em 1945, Mazaud iria morrer no Grande Prémio de Nice logo em 1946 e Wimille morreria nos treinos para o Grande Prémio de Buenos Aires de 1949.

Leave a Comment