Rui Costa desafia campeões José Mendes e José Gonçalves nos Nacionais de ciclismo

  • Home
  • Portugal
  • Rui Costa desafia campeões José Mendes e José Gonçalves nos Nacionais de ciclismo

Rui Costa (UAE-Emirates) vai alinhar nas provas de fundo e de contrarrelógio dos campeonatos nacionais de ciclismo, em Paredes, onde José Mendes (W52-FC Porto) e José Gonçalves (Nippo Delko One Provence) defendem os títulos conquistados em 2019.

Ivo Oliveira e Rui Oliveira, ambos da UAE-Emirates, são os outros dois corredores de equipas do WorldTour presentes na competição, que arranca na sexta-feira, com a disputa dos títulos nacionais de contrarrelógio de elites, sub-23 e paraciclismo.

A corrida de elite tem início marcado para as 14:30, juntamente com os sub-23, para um percurso de 18,1 quilómetros, entre a zona industrial de Gandra e o kartódromo de Baltar, tendo, entre os 29 inscritos o atual campeão José Gonçalves, que já tinha conquistado o título em 2012, e Rui Costa, que arrebatou a prova em 2013.

Ivo e Rui Oliveira, Rafael Reis (Feirense), Tiago Machado (Efapel), Joni Brandão (Efapel), Ricardo Mestre (W52-FC Porto) e Joaquim Silva (Miranda-Mortágua) são outros dos candidatos ao triunfo final, atendendo à ausência do principal corredor da especialidade, Nelson Oliveira, quatro vezes campeão.

No domingo, a prova de fundo vai ter início e fim na zona industrial de Gandra, com os 68 elementos do pelotão de elite a enfrentar 164,8 quilómetros, a partir das 11:00, numa prova em que o campeão José Mendes defende a camisola, que já tinha envergado em 2016.

Mais uma vez Rui Costa, campeão em 2015, é outro dos contendores da prova, tal como Joni Brandão, vencedor do título em 2013, frente a outros candidatos, como os também ‘dragões’ Amaro Antunes e João Rodrigues, detentor da Volta a Portugal.

Face ao contexto de pandemia de covid-19, as provas podem contar com a presença de público, com máscara de proteção, fora das zonas de partida e chegada, desde que sejam evitadas aglomerações e mantido o distanciamento físico de dois metros, sendo incentivados, pela Federação Portuguesa de Ciclismo, os aplausos em detrimento do apoio verbal aos corredores.

Leave a Comment