Restrições aéreas deverão obrigar Ryanair a reduzir voos em outubro

  • Home
  • Internacional
  • Restrições aéreas deverão obrigar Ryanair a reduzir voos em outubro

A companhia aérea irlandesa deverá cancelar um em cada cinco voos agendados para o mês de outubro devido às “excessivas e defeituosas” restrições aéreas impostas pelo bloco europeu e pelo Reino Unido.

Na notícia avançada pelo “The Guardian”, esta sexta-feira, a Ryanair deverá ter capacidade e liberdade para cumprir apenas 40% dos voos previstos para outubro, comparativamente com o período homólogo do ano passado. Apesar de ser uma redução expressiva, é inferior à anteriormente avançada por analistas que antecipavam um recuo de 50%.

Apesar disso, a companhia aérea espera que os aviões que efetivamente levantem voo viajem com 70% da capacidade preenchida.

A novidade chega depois de, em agosto, a companhia aérea ter antecipado uma redução de 20% dos voos em setembro e outubro. Em ambos os casos, os donos da companhia ‘low-cost’ culpam as restrições decretadas pelos governos europeus devido à pandemia da Covid-19.

Esta redução no número de voos faz parte do plano estratégico da Ryanair que visa atenuar os impactos da pandemia uma vez que se tem registado, nas últimas semanas, um aumento de cancelamentos em última hora devido às restrições de viagens. Em Portugal, é provável que essa situação se tenha verificado dado que o Reino Unido voltou a colocar o país fora do corredor aéreo 13 dias depois de ter sido admitido devido ao aumento de casos confirmados de Covid-19. Durante esse período de ‘luz verde’, o aumento da procura de voos comerciais com destino a outros países aumentou 723%, sendo que o Algarve foi a região mais procurada pelos turistas.

A Ryanair admitiu estar “desiludida”com o aumento de voos cancelados, e avisou que poderá avançar com mais cortes caso as restrições determinadas, principalmente, pelo Reino Unido, se mantenham.

“Embora seja cedo para tomar decisões quanto à nossa agenda de inverno (novembro até março), se continuarem as tendências atuais e a má gestão dos governos da UE em relação ao retorno das viagens aéreas e à atividade econômica normal, os cortes de capacidade semelhantes podem ser necessários durante todo o período de inverno”, disse um porta-voz da Ryanair.

Com este anuncio, os títulos da companhia aérea reduziram 5,25% para 11,91 dólares.

Leave a Comment