Incêndios: Câmara de Santo Tirso esclarece que contabilizou 110 cães com vida

  • Home
  • Portugal
  • Incêndios: Câmara de Santo Tirso esclarece que contabilizou 110 cães com vida

A Câmara Municipal de Santo Tirso esclareceu hoje que contabilizou 110 cães com vida no abrigo de animais atingido pelo incêndio na Serra da Agrela, lamentando a morte de 54 animais.

Num novo comunicado enviado à Lusa, o município presidido pelo socialista Alberto Costa esclarece que, “quando o incêndio foi dado por dominado, já de madrugada, e na sequência do período de rescaldo, foi possível contabilizar com vida 110 cães que se encontravam no abrigo de animais”, e não retirados como referido anteriormente.

Segundo a autarquia, morreram 52 cães e dois gatos.

O município afirma que tem em curso “um plano para a retirada dos animais daquele espaço, de forma a garantir todas as condições de tratamento e bem-estar animal”, confirmando que, até ao momento, foram realojados 13 animais no Canil/Gatil Municipal de Santo Tirso.

“Dado o número elevado de animais em causa, foram estabelecidos contactos com a Direção-Geral de Veterinária e com outros Municípios, no sentido de arranjar alternativa ao abrigo para os restantes animais”, acrescenta.

A Câmara de Santo Tirso afirma que apenas pôde executar o plano de retirada durante o dia de hoje, “porque não estavam, de acordo com as autoridades de proteção civil, reunidas as condições de segurança para o realojamento dos animais durante a madrugada de sábado”.

Testemunhas no local disseram à Lusa que os animais resgatados dos dois canis atingidos pelo incêndio na Serra da Agrela estão a ser distribuídos por associações de proteção de animais e a ser encaminhados para clínicas.

Sónia Cunha, uma das pessoas que se dirigiu hoje ao local para ajudar a resgatar os animais, disse à Lusa que foi montado um hospital de campanha no local, para a prestação dos primeiros cuidados aos animais, e que estes estão a ser distribuídos entre associações de proteção dos animais e, os que estão em estado mais grave, para clínicas veterinárias.

Sónia Cunha afirmou que, além do “Cantinho 4 patas”, há um segundo canil, menos atingido, mas de onde os populares estão igualmente a retirar os animais.

A GNR afirmou hoje que a morte de animais no incêndio em Santo Tirso não se deveu ao facto de ter impedido o acesso ao local de populares, mas à dimensão do fogo e à quantidade de animais.

O PAN informou que apresentou queixa ao Ministério Público por “crime contra animais de companhia” em Santo Tirso e pedirá esclarecimentos ao ministro da Administração Interna sobre a morte de dezenas de animais na sequência do incêndio.

O Bloco de Esquerda, por seu turno, anunciou que quer explicações dos ministros da Administração Interna e da Agricultura no parlamento, bem como da Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV), sobre a situação.

Uma petição a pedir “justiça pela falta de prestação de auxílio aos animais do canil cantinho 4 patas em Santo Tirso” reuniu, até às 20:50, 68.963 assinaturas.

A associação Animal solicitou também hoje ao Governo e ao parlamento que sejam apuradas responsabilidades no caso das mortes de animais naquele abrigo particular em Santo Tirso.

Leave a Comment