Hibridismo – O que é e como acontece a inusitada ocorrência linguística

Fonte: Comunidade Cultura e Arte.

O hibridismo é o fenômeno da morfologia em que as palavras formadas pela junção de radicais vindos de outras línguas.

Essa ocorrência linguística, porém, é condenada por alguns gramáticos. Isso porque não existe uma uniformidade na origem dos elementos que compõem a palavra.

Bem como o espanhol, francês e italiano, o português nasceu do latim. Por isso, muitas expressões são parecidas entre essas línguas. Na língua Portuguesa, a maioria desses compostos vem do latim ou do grego causando uma variação linguística. 

Os hibridismos, portanto, se tornaram muito frequentes e foram incorporados ao vocabulário dos falantes.

Dessa forma, podemos descobrir o significado das palavras olhando para seu processo de formação. Por exemplo, a palavra Sociologia. Basicamente, “Socio” vem do latim e quer dizer companheiro.

Já, “logia”, vem do grego e significa “estudo”. Ou seja, Sociologia é o estudo da vida coletiva, em sociedade.

Exemplos de hibridismo

Monocultura – Mono (grego: um) + Cultura (latim: cultivo) –> Significado: cultivo de um único produto

Endovenoso – Endo (grego: dentro) + Venoso (latim: que tem veias) –> Significado: por dentro da veia

Burocracia – Buro (francês: escritório) + Cracia (grego: administração) –>Significado: sistema de execução da atividade pública

Alcoômetro – Álcool (árabe: fino composto obtido através da destilação) + metro (grego: medida) –>Significado: instrumento usado para medir o grau de álcool em bebidas

Zincografia – Zinco (alemão: pedra) + Grafia (grego: escrita) –> Significado: processo de impressão planográfica que usava chapas de zinco

Assim como o grego e o latim, podemos usar outras línguas para fazer hibridismo. A formação acontece a partir de duas línguas diferentes e você tem uma palavra híbrida. No Brasil, ainda usamos palavras indígenas como “Goiabeira”, que une o tupi e português.

Leave a Comment