Conheça as diferenças entre a dengue, zika e chikungunya

Um único mosquito, capaz de transmitir três doenças. Esse é o Aedes aegipty, responsável por transmitir o vírus da dengue, da chikungunya e do zika.

Apesar de serem contraídas da mesma forma e terem sintomas semelhantes, elas são distintas. Porém, se não forem tratadas adequadamente, todas podem ter consequências graves.

O diagnóstico dessas doenças é basicamente clínico. O médico leva em conta os sintomas e o histórico do doente. Além disso, existem exames específicos para pesquisar a presença de anticorpos ou fragmentos dos vírus no sangue do paciente.

Em determinadas situações, esses exames podem ser uma estratégia importante para estabelecer o diagnóstico diferencial com a dengue e a febre chikungunya, doenças que apresentam quadro clínico semelhante. Serve também para dar continuidade aos estudos sobre as características, prevenção e tratamento das infecções

Zika vírus

Em 80% dos casos a doença pode ser assintomática. Os sinais aparecem geralmente dez dias após a picada. Eles podem ser semelhantes aos da dengue, porém menos agressivos. Por isso, chegam a ser confundidos com os sintomas de uma virose banal e passageira. Como desaparecem espontaneamente depois de três a sete dias, na maioria dos casos, as pessoas nem chegam a procurar assistência médica e não recebem o diagnóstico da doença.

Por isso, é preciso estar atento aos seguintes sintomas que fazem parte do quadro típico da infecção pelo Zika virus:

  • Febre por volta dos 38℃;
  • Aumento dos gânglios linfáticos;
  • Dor de cabeça, no corpo e nas articulações (que pode durar várias semanas);
  • Erupção cutânea (exantema maculopapular) acompanhada de coceira intensa que pode tomar o rosto, o tronco, os membros e atingir a palma das mãos e a planta dos pés;
  • Fotofobia (sensibilidade à claridade intensa);
  • Conjuntivite (olhos vermelhos, inflamados, lacrimejantes e sem secreção purulenta);
  • Diarreia, náuseas, mal-estar;
  • Cansaço extremo.

Embora a infecção por Zika virus possa passar despercebida, os casos confirmados de microcefalia indicam que as mães foram infectadas pelo vírus nos primeiros meses de gravidez. De alguma forma, ele provoca uma alteração no sistema imune que lhe permite atravessar a placenta e alcançar o feto, impedindo que o cérebro se desenvolva normalmente. A criança é considerada portadora de microcefalia, quando seu perímetro cefálico é menor do que 32 cm.

Estudos recentes indicam também uma ligação entre o Zika virus e a Síndrome de Guillain-Barré, doença autoimune que se manifesta depois de infecções por vírus ou bactérias e ataca os nervos periféricos, que perdem a bainha de mielina. Essa desordem do sistema imune provoca fraqueza muscular e paralisia que, nos casos mais graves, podem pôr a vida em risco.

dengue

Dengue

Muitas vezes a dengue se apresenta de forma assintomática. Quando surgem, os sintomas costumam evoluir, dependendo do tipo da doença, que podem ser:

  1. Forma benigna, similar à gripe;
  2. Dengue com sinais de alarme, mais grave, caracterizada por alterações da coagulação sanguínea;
  3. Grave, forma raríssima, mas que pode levar à morte, se não houver atendimento rápido e especializado.

Nos adultos, a primeira manifestação é a febre alta (39ºC a 40ºC), de início repentino, associada a:

  • Dor de cabeça;
  • Prostração;
  • Dores musculares, nas juntas e atrás dos olhos;
  • Vermelhidão no corpo (exantema);
  • Coceira.

Anorexia, náuseas, vômitos e diarreia não volumosa também podem ocorrer, mas são menos frequentes.

As manifestações iniciais da dengue com sinais de alarme – as mesmas da fase febril da doença — devem ser rotineiramente pesquisadas e valorizadas. Entretanto, depois do terceiro dia, quando a febre começa a ceder, aparecem:

  • Sinais de hemorragia, como sangramento nasal, gengival e vaginal;
  • Rompimento dos vasos superficiais da pele (petéquias e hematomas).

A maioria dos sinais de alarme é resultante do aumento da permeabilidade vascular, a qual marca o início do deterioramento clínico do paciente e sua possível evolução para o choque por extravasamento de plasma. Em casos mais raros, podem ocorrer sangramentos no aparelho digestivo e nas vias urinárias.

Nos casos de dengue grave, o potencial de risco é evidenciado por uma das seguintes complicações:

  • Alterações neurológicas (delírio, sonolência, depressão, coma, irritabilidade extrema, psicose, demência, amnésia);
  • Sintomas cardiorrespiratórios;
  • Insuficiência hepática;
  • Hemorragia digestiva;
  • Derrame pleural.

As manifestações neurológicas, geralmente, surgem no final do período febril ou na convalescença.

Chikungunya

Chikungunya

Embora os vírus da febre chikungunya e os da dengue tenham características distintas, os sintomas das duas doenças são semelhantes. Na fase aguda da chikungunya, a febre é alta, aparece de repente e vem acompanhada de:

  • Dor de cabeça;
  • Dor muscular (mialgia);
  • Erupções na pele (exantemas);
  • Conjuntivite;
  • Dor nas articulações (poliartrite).

A dor nas articulações é o sintoma mais característico da enfermidade. É tão forte que chega a impedir os movimentos e pode perdurar por meses ou até anos depois que a doença vai embora. Ao contrário do que acontece com a dengue, não existe uma forma hemorrágica da doença e é raro surgirem complicações graves, embora a artrite possa continuar ativa por muito tempo.

Tratamentos de zika, dengue e chikungunya são similares

Nas três doenças, o tratamento é sintomático. Tomar muito líquido para evitar desidratação e utilizar medicamentos para baixar a febre e analgésicos são as medidas de rotina para aliviar os sintomas. Todos os casos requerem diagnóstico e acompanhamento médico, para evitar que as doenças se agravem. Atenção: os remédios que contêm ácido acetilsalicílico são contraindicados, porque podem aumentar o risco de hemorragias.

Leave a Comment