Canibalismo: Quatro casos que chocaram o mundo

Fonte: Educa mais Brasil

Os arqueólogos encontraram provas de canibalismo na árvore genealógica humana que remontam a, pelo menos, 800 000 anos.

Apesar de as marcas nos ossos cortados e roídos não revelarem as verdadeiras motivações, os vestígios históricos dão algumas pistas sobre como as práticas canibais se foram difundindo ao longo da evolução humana.

Na gruta de Gran Dolina, em Espanha, por exemplo, partes cortadas de bisontes, ovelhas e veados estavam misturados com as partes do corpo de, pelo menos, 11 humanos, todos crianças ou adolescentes, cujos ossos demonstravam sinais de canibalismo.

Além das marcas que comprovam que a carne foi arrancada dos ossos, as provas sugerem que os habitantes de Gran Dolina — um antigo parente do humano chamado Homo antecessor — comiam os cérebros das suas vítimas.

Veja 4 casos reais de canibalismo

1- Georg Grossman

Canibalismo- O que é + 4 casos que chocaram o mundo
Fonte: Aventuras na história

O primeiro caso relatado ocorreu no ano de 1921, durante a crise econômica vivida pela Alemanha, após a Primeira Guerra. Consequentemente, nesse período, a carne animal se tornou um produto raro. Assim, algumas pessoas, como por exemplo, o açougueiro Gerog Grossman, procuraram por formas mais exóticas de sobrevivência.

Basicamente, o caso do açougueiro começou quando ele dedidiu fabricar e vender salsichas, na estação ferroviária da cidade de Neuruppin, por um preço bem “camarada” para a época. Contudo, o que ninguém fazia ideia era que a carne da salsicha, na verdade, era carne humana.

Sobretudo, a carne das salsichas eram resultados de inúmeros assassinatos. De modo geral, Georg após praticar relações sexuais com algumas prostitutas da cidade, ele as matava, e moía suas carnes. Assim sendo, ele separava alguns quilos para consumo própria e vendia o restante em forma de salsichas. (Bizarro, não é mesmo?).

Contudo, esse meio nada humano de se ganhar dinheiro teve fim, após alguns vizinhos ouvirem gritos agudos saírem da casa de Grossman. Assim sendo, eles denunciaram e a polícia foi até a casa do açougueiro. Consequentemente, eles encontraram quatro cadáveres humanos desmembrados. Além de dezenas de dedos femininos em uma frigideira, sobre o fogão.

2- Issei Sagawa

Canibalismo- O que é + 4 casos que chocaram o mundo
Fonte: Aventuras na história

O segundo caso de canibalismo ocorreu em 1981, em Paris na França. O praticante de canibalismo foi Issei Sagawa, japonês, o qual fazia doutorado em Literatura Inglesa na Sorbonne, universidade parisiense. Contudo, aos 32 anos Sagawa foi internado em um manicômio, após ser responsável pela morte de uma jovem.

Basicamente, tudo começou quando ele convidou uma colega de classe para um jantar oriental em sua casa. Mas, tudo na verdade não passou de uma desculpa para praticar o ato horripilante. Na verdade o japonês matou a jovem e ainda comeu sua carne. Após um tempo internado ele foi solto. Inclusive, após ser solto, ele escreveu um livro sobre o seu caso de canibalismo.

O seu livro se chamou, In the Fog (Sob a névoa), e vendeu mais de 200 mil exemplares. Além do mais, ele foi adaptado para mangá e Sagawa ficou conhecido ainda como cult entre os leitores japoneses. Ou seja, ele se tornou uma celebridade em seu país. E para melhorar a história, ele também chegou a escrever uma coluna de gastronomia em uma revista. (Seria cômico, se não fosse verdade).

3- Jeffrey Dahmer

Canibalismo- O que é + 4 casos que chocaram o mundo
Fonte: Aventuras na história

Já o terceiro caso de canibalismo, ocorreu nos Estados Unidos, em meados da década de 90. Sendo mais específico, Jeffrey Dahmer foi preso e condenado a 957 anos de prisão, em 1991, após matar e comer 17 vítimas. Sobretudo, Jeffrey abordava jovens homossexuais em bares. Assim sendo, ele os convidavam para seu apartamento.

Normalmente, seu pretexto era para assistirem a filmes pornôs, ou fazer fotografias eróticas, ou até mesmo para verem sua coleção de borboletas. Contudo, após fazer práticas sexuais com suas vítimas, ele os drogavam, e matavam estrangulados ou com golpes de faca. Em seguida, os dissecavam.

Inclusive, ele tinha o costume de guardar as carnes em sacos plásticos em sua geladeira. Vale destacar ainda, que ele separava em carnes nobres, e carnes “para comer mais tarde”. Enquanto, os ossos e a carcaça das vítimas eram dissolvidos com ácido. E já os crânios eram limpos e guardados, como uma espécie de coleção.

Além dos crânios, ele também tinha como hábito guardar os órgãos genitais, os quais ele conservavam em formol. Após, ser preso, ele foi porto por outro preso. O qual, inclusive, era esquizofrênico e dizia ser a reencarnação de Jesus Cristo.

4- Armin Meiwes

Canibalismo- O que é + 4 casos que chocaram o mundo
Fonte: Aventuras na história

Antes de lhe expor esse caso, vale destacar que ele pode ser o caso mais esquisito de todos. Sobretudo, iremos falar do caso de Armin Meiwes, ou melhor, “o canibal de Rotenburg”. Basicamente, Armin era um alemão que usava a internet, com o intuito de achar jovens a fim de ser esquartejado e comido, em seguida.

Antes que você ache ser impossível de achar, é importante dizermos que ele achou não só uma pessoa, como na verdade 430 pessoas. Inclusive, ele tinha 43 anos, era engenheiro e se chamava Bernd Jurgen Armando Brandes. Além do mais, era classificado como sadomasoquista.

Após ler o anúncio de Armin, em 2001, eles combinaram de se encontrar. Para que assim Armin pudesse cortar, comer e matar Bernd. Assim sendo, eles praticaram relação sexual, e após isso a vítima tomou dez analgésicos. Assim sendo, a primeira parte do corpo a ser cortada foi o pênis de Bernd. O qual inclusive, ambos fritaram para comerem juntos.

Mesmo Bernd ser obcecado pela dor, ele não conseguiu resistir e logo após perdeu a consciência e desmaiou. Assim sendo, Armin o esfaqueou no pescoço e em seguida o esquartejou. Após isso, Armin se alimentou com a carne de Bernd por meses. Contudo, após acabar o suprimento, ele colocou outro anúncio na internet.

Mas, dessa vez, em 2002, ele foi preso pela polícia. Após isso, ele ficou internacionalmente conhecido e foi também condenado a prisão perpétua, por ter cometido o crime de homicídio com consumo de cadáver.

Leave a Comment