As fantásticas carrinhas das estrelas de rock

Na infância da música pop e rock dos princípios da década de 1960 as bandas circulavam pelo Reino Unido de Commer e Ford Thames. Muitas delas eram guiadas por roadies, mas, dependendo do orçamento que o grupo possuía, diversas vezes a condução era assegurada pelos próprios músicos.

Viajar durante a noite era uma necessidade, com o assento principal, em muitos casos, a ser o banco dianteiro central, directamente sobre o motor, pois esta era a parte mais quente da carrinha.

Muitas furgonetas eram grafitadas por fãs que desejavam deixar uma marca pessoal junto do colectivo favorito. As perseguições aos ídolos aumentavam e eram um sério problema para grupos como The Beatles, The Rolling Stones ou The Animals, com os managers de tour a terem de criar maneiras cada vez mais astutas de conseguir levar os artistas para perto do palco.

A Ford Transit não só tornou o Jaguar Mark 2 redundante como o veículo de refúgio preferido, como também revolucionou o transporte de bandas. Ao contrário dos predecessores, era muito mais silenciosa por dentro, tinha aquecedor e, mais importante, era confiável. Lançada em 1965, estaria em plano de destaque até 2013, altura em que se notabilizaria a Ford E-Series.

À medida que as bandas iam ficando, consideravelmente, maiores, passar-se-ia a usar um camião articulado e as formações musicais a deslocarem-se em limousines.
 

The Beatles num Commer

rock_2

Johnny Devlin & the Detours, em 1961

rock_3

Carrinha dos Riot Squad

rock_4

Carrinha dos Status Quo (1966)

rock_5

Bill Wyman (Manchester, 1964)

rock_6

Carrinha dos The Who, com Richard Cole (tour manager) na imagem

rock_7

Ford Transit de Tony Iommi (Birmingham, 1968)

rock_8

Os Amen Corner na sua Ford Transit de 1970

rock_9

Uma Ford Transit personalizada para os Small Faces

rock_10

Ian Lee (roadie dos Pink Fairies), numa Ford Transit de 1971

rock_11
Leave a Comment