A Última Ceia – Origem e símbolos por trás da pintura histórica

Entre as pinturas mais famosas do mundo, é fácil incluir a A Última Ceia. Pintada por Leonardo da Vinci, autor de Mona Lisa, a obra é a mais famosa que retrata a última refeição de Jesus, ao lado dos apóstolos.

A obra de arte foi criada ao longo de quatro anos e foi finalizada em 1498, com 4,60 m de altura e 8,80 m de largura. A pintura foi encomendada por Ludovico Sforza, a fim de decorar um convento ao lado da igreja de Santa Maria delle Grazie, em Milão, na Itália.

Ainda hoje, A Última Ceia é um das pinturas mais populares do mundo, além de ser símbolo de um dos movimentos artísticos mais importantes da história: o Renascimento.

Os 12 apóstolos

A Última Ceia - origem e símbolos por trás da pintura histórica
Bíblia Virtual

Da esquerda para a direita, A Última Ceia apresenta os doze apóstolos, ao lado de Jesus.

  • São Bartolomeu
  • Tiago Menor
  • André
  • Pedro (curvado atrás de Judas, sussurrando no ouvido de João)
  • Judas Iscariotes
  • João (sentado à esquerda de Cristo, do ponto de vista do espectador)
  • Tiago Maior (sentado à direita de Cristo, do ponto de vista do espectador)
  • Tomé
  • Felipe
  • Mateus
  • Judas Tadeu
  • Simão

Significado

A Última Ceia - origem e símbolos por trás da pintura histórica
Leonardo da Vinci

O trabalho de Da Vinci retrata a última refeição de Jesus e seus apóstolos, mas não faz isso de uma maneira casual. Isso porque ao invés de valorizar a Eucaristia, Leonardo segue por outro viés. Aqui, portanto, ele se diferencia por escolher pintar o momento do anúncio de sua traição.

Segundo a Bíblia, é durante a ceia que Jesus revela a todos que será traído. Logo após compartilhar o pão e o vinho, ele informa que existe um traidor entre seus apóstolos.

Dessa maneira, Leonardo escolheu retratar os apóstolos como figuras humanas. Além de ser uma característica do Renascimento, a aproximação dos personagens sagrados ao mundano fazia parte de uma motivação política.

O duque que encomendara a pintura tinha problemas com o Papa. Assim, pediu que o artista criasse símbolos que pudessem agredir a igreja em sua arte.

Técnica

A Última Ceia - origem e símbolos por trás da pintura histórica
Insider

Ao invés de optar pela técnica mais comum de afrescos, com têmpera de ovo sobre reboco úmido, Leonardo apostou em outra técnica. O pintor investiu numa liga à base de óleo, aplicada sobre gesso seco. Infelizmente, a decisão foi terrível para a manutenção da pintura. Logo após sua finalização, os primeiros sinais de deterioração já podiam ser vistos.

Por outro lado, a obra aposta no rigor e no equilíbrio da composição, com base na regra dos terços. Assim, cada gesto apresentado tem grande valor e importância. Ou seja, cada um deles é capaz de transmitir emoções e construir uma narrativa no trabalho.

Nesse sentido, por exemplo, Leonardo utiliza a arquitetura da cena como apoio às figuras principais: as pessoas. Sendo assim, cada um dos elementos de A Última Ceia se torna essencial para destacar ainda mais a proposta que o artista quis construir. Além disso, Leonardo utiliza o ponto de fuga central para chamar a atenção para Jesus.

Maria Madalena

A Última Ceia - origem e símbolos por trás da pintura histórica
Insider

A obra de Leonardo da Vinci é famosa por, supostamente, conter códigos secretos. A Última Ceia não é diferente. Uma das teorias mais famosos sugere que Maria Madalena estaria ao lado de Jesus. A mulher, além disso, seria esposa e mãe do filho de Cristo.

A princípio, a teoria surgiu na década de 60, com o francês Pierre Plantard. Mais tarde, ela ganhou forças com o livro O Santo Graal e a Linhagem Sagrada, de 1982 e com O Código Da Vinci, de Dan Brown.

Segundo a teoria, o personagem com traços femininos ao lado de Jesus seria Maria Madalena. O espaço vazio triangular entre os dois, poderia sugerir um cálice sagrado ou até mesmo um útero, indicando os possíveis descendentes do casal.

A teoria ainda sugere que uma organização secreta foi criada na Idade Média para proteger esses descendentes. O Priorado de Sião seria formado por mentes brilhantes ao redor do mundo, assim como Isaac Newton e o próprio da Vinci

Apesar disso, a figura retratada é o apóstolo São João Evangelista. Ele era o mais jovem ao lado de Jesus e já havia sido representado como andrógino em outros trabalhos de Leonardo.

Curiosidades sobre A Última Ceia

A Última Ceia - origem e símbolos por trás da pintura histórica
Insider
  • O quadro foi um dos mais copiados do século seguinte, tanto com versões alternativas, bem como em paródias.
  • Por causa das várias intervenções de restauração que sofreu, a obra acabou revelando novos segredos com o passar dos anos. Por exemplo, a comida que está na mesa inclui enguias, além da comum combinação de pães e vinhos.
  • A fim de retratar os apóstolos com traços humanos fieis, da Vinci se inspirou em vários amigos e membros da corte de Milão.
  • Da mesma maneira, há indícios de que os traços de Jesus tenham sido inspirados em Giovanni Conte. Segundo registros históricos, o único homem que viveu com esse homem fora um militar.
  • É com esse quadro que da Vinci consegue sua esperada fama e glória, já com mais de 40 anos de idade.
  • Atualmente, a obra está numa sala dedicada a refeição de monges, no Monastério da Igreja de Santa Maria Delle Grazie. Assim, ela pode ser visitada, mas o ingresso deve ser comprado com meses de antecedência, por causa do alto número de interessados.
Leave a Comment